Cadastre-se Tabela Shoptrans
Principal / Notícias / Debatedores defendem redução de impostos para incentivar a compra de veículos elétricos. 07/12/2017 Debatedores defendem redução de impostos para incentivar a compra de veículos elétricos.  
  • Cálculos apontam que em 2030 o Brasil poderá ter até 6 milhões desses carros, dependendo das medidas que forem adotadas.
  • Em alguns países europeus essas frotas já representam quase 50% e na China o crescimento mais que dobrou em 2017.

Em audiência pública da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços (CDEICS), representantes da indústria e do setor elétrico cobraram incentivos fiscais e definições legais para a produção, comercialização e uso de veículos elétricos no país.

Apesar de mais caros, os veículos elétricos têm um custo de manutenção 40% menor que o dos tradicionais. Sem contar a emissão quase zero de poluentes.

O setor está em plena expansão no mundo. Nos últimos anos a frota aumentou mais de 200% em países que incentivaram a produção e comercialização de veículos elétricos, como Suécia, China e Estados Unidos. E muitos deles já definiram data para acabar com a produção de veículos movidos a combustão, a maioria entre 2030 e 2040.

Na Noruega, por exemplo, o mercado de veículos elétricos já representa 40% das vendas. Na China, em 2017, as vendas de carros elétricos saltaram de 1% para 2,5% do total. E a meta é que chegue a 8% em 2018.

Dados exibidos na audiência pública mostraram que o Brasil tem cerca de 5 mil veículos elétricos ou híbridos, contando carros, ônibus e ciclomotores – espécie de motocicleta elétrica pequena, que não ultrapassa a velocidade de 50 km por hora. Mas isso em uma frota total de 50 milhões de veículos.

Para o deputado Marcelo Matos (PHS-RJ), autor do pedido de debate sobre o assunto, o País precisa recuperar o tempo perdido em relação ao uso de veículos elétricos. "O Brasil está indo totalmente na contramão em relação ao futuro. Hoje se polui muito e se investe pouco", disse.

O deputado anunciou que vai criar, no ano que vem, uma frente parlamentar de apoio ao segmento de veículos elétricos.

Incentivos
Os debatedores apontaram quatro condições necessárias para a disseminação e popularização dos veículos elétricos: desoneração tributária; infraestrutura para recarga nas estradas; padronização e regulamentação dos tipos de conectores para recarga; e incentivos aos usuários, como locais de estacionamento.

Para Renato Povia Silva, gerente de Inovação da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL), a questão tributária é a primeira que precisa ser resolvida. Segundo ele, em 2030 o Brasil pode ter algo entre 2,2 milhões e 6 milhões de veículos elétricos, a depender das medidas que foram adotadas.

“É preciso que a tributação seja pelo menos equiparada à de um carro tradicional popular. Se isso acontecer hoje, teremos 6 milhões de veículos elétricos em treze anos. Se acontecer só por volta de 2021, a projeção se reduz a um terço disso”, disse.

Ele disse também que, para que as pessoas optem por veículos elétricos, é preciso ainda que o mercado de recarga cresça junto com a produção de veículos. “O Brasil ainda não tem padrão de recarga de veículos elétricos, ou seja, os tipos de conectores. Também precisa avançar numa infraestrutura mínima de recarga”, disse.

A geração de energia necessária, segundo ele, não é um empecilho para a popularização dos carros elétricos. Se o número de veículos checar a 6 milhões em 2013, isso vai representar um aumento de apenas 1,2% do consumo de energia.

Desoneração
Os fabricantes de veículos pediram desoneração para que o segmento possa se tornar atraente para as empresas e consumidor. Um carro elétrico ainda é muito caro em comparação com os carros tradicionais. Isso apesar de o governo ter reduzido o imposto de importação para esse tipo de veículo e para os componentes, mas o IPI, que varia de 25 a 45%, é apontado como muito alto ainda.

Adalberto Silício, diretor da Associação Brasileira de Veículos Elétricos (ABVE), elogiou a desoneração do Imposto sobre Importação, mas sugeriu outros incentivos, como a redução do imposto sobre propriedade de veículos (IPVA) e isenções para empresas de recargas. “Isso acontece em países como Eslováquia, Espanha, Suécia e Estados Unidos”, disse.

O presidente da entidade, Ricardo Guggisberg, foi além. Segundo ele, a legislação tributária para veículos levíssimos, caso dos cicloelétricos, é confusa. E as desonerações poderiam ser estendidas a outros impostos. “Pedimos também adequação do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), até que a indústria comece a produzir estes veículos, além de outras medidas, como isenção para táxis”, disse.

Proposta
A Câmara analisa projeto (PL 4086/12), do deputado Fernando Coelho Filho (PSB-PE), atual ministro das Minas e Energia, que cria incentivo fiscal à produção e comercialização de veículos automóveis movidos a eletricidade ou híbridos.

Mas não basta diminuir os impostos incidentes sobre os veículos, de acordo com representantes dos fabricantes. É o caso, por exemplo, dos chamados cicloelétricos, como são conhecidos aqueles ciclomotores pequenos e bicicletas elétricas mais potentes.

A associação que reúne os fabricantes e importadores desse tipo de veículo reclama que o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) equipara estes veículos a motocicletas e exige carteira de habilitação e emplacamento. O presidente da associação, Maurício Francisco, classifica a medida como “incoerente e bizarra”.

Segundo ele, isso encarece o produto e afasta o consumidor. "Isso vem tirando o veículo do seu mercado e afastando as pessoas de um veículo que pode ser a solução para a mobilidade urbana", disse.

Estímulos
Outros fatores também foram apontados como necessários para que o Brasil ingresse na era dos carros elétricos. Gleide Souza, da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA), apontou a questão da padronização dos carregadores como fundamental para o crescimento do setor, bem como outros incentivos para os usuários.

“Eu me sentiria incentivada a comprar um veículo elétrico se houvesse vagas para estacionamento, desoneração para compra ou até mesmo a permissão para uso de corredores de ônibus”, disse.

O representante do governo na audiência pública, Igor Calvet, do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, disse que será entregue ao presidente Michel Temer, até o fim do ano, uma proposta de política voltada para o setor, com previsão de incentivos e participação de várias áreas do governo.

“Já realizamos 110 reuniões com representantes da indústria, trabalhadores e setores do governo. E agora estamos terminando o desenho dessa política, que exige uma convergência muito grande dentro do governo, inclusive com discussão sobre infraestrutura e normas técnicas para que o mercado consiga atuar, com certas regulações”, disse.

Leia também:

Busca OK Carregando...
Arquivo de Notícias 2018   20182017201620152014201320122011201020092008 Abril   JaneiroFevereiroMarçoAbrilMaioJunhoJulhoAgostoSetembroOutubroNovembroDezembro OK Carregando...
Categorias ArtigoAUTOPEÇASCaminhõesCombustíveisEconomiaEDITORIALEstradasImplementos RodoviáriosInformativosLOGÍSTICAMercadoMontadoraÔnibusOPINIÃOPORTOSTecnologiaTRÂNSITO
Tamanho da Fonte    
Publicidade Publicidade
Últimas Notícias   21.04 Ônibus Venda para o Peru amplia participação da IVECO BUS na América Latina.   21.04 Mercado Ford lança nos EUA serviço de transporte médico não emergencial com vans.   21.04 Caminhões Volkswagen apoia TB Forte em sua expansão nacional.   21.04 Mercado Helimarte Taxi Aéreo completa 19 anos com 50 mil voos realizados no Brasil.   21.04 Caminhões Rio Grande do Sul aprova projeto de lei que combate o roubo de cargas. Ver Mais Mais Lidas 1 Exame toxicológico para motoristas tem novas regras a partir de hoje. 2 Exame toxicológico para motoristas profissionais: A partir de hoje é obrigatório informar o Ministério do Trabalho. 3 Petrobrás anuncia nova redução nos preços dos combustíveis a partir de amanhã (25). 4 Honeywell anuncia Turbos Garret de geometria variável de terceira geração no Brasil 5 Transporte de produtos perigosos: Novas regras entram em vigor esse mês e sofreram alterações em relação a original. Publicidade Publicidade Publicidade Publicidade
ClassificadosCaminhõesImplementos RodoviáriosLINSHALM BAÚS ZEROLogística Caminhões / Utilitários VENDO VW9150 2009 R$ 67.000,00 Caminhões / Toco MB 710 2002 Carroceria R$ 60.000,00 Logística TRATOR INDUSTRIAL TRAMONTINI DIESEL 50CV R$ 65.386,00 Caminhões / Toco VW 17190 Constellation baú Completo R$ 140.000,00 Logística EMPILHADEIRA 7 TONELADAS GLP R$ 77.000,00 Implementos Rodoviários / CARROCERIA ABERTA SOBRE-CHASSI CARROCEIRA SOBRE CHASSI MISTA FERRO MADEIRA R$ 30.000,00
Newsletter Receba notícias e ofertas por e-mail
  NotíciasArtigoAUTOPEÇASCaminhõesCombustíveisEconomiaEDITORIALEstradasImplementos RodoviáriosInformativosLOGÍSTICAMercadoMontadoraÔnibusOPINIÃOPORTOSTecnologiaTRÂNSITO   TV ShopTransCaminhõesInformativosNovidadesTRÂNSITO   EntretenimentoDicas   ClassificadosCaminhõesImplementos RodoviáriosLINSHALM BAÚS ZEROLogística   Anuncie Tabela de Valores Cadastre-se Área Restrita Contato (54) 3229-6697 © 2018 Todos os direitos reservados para Shoptrans. Layout e Programação desenvolvidos por DROP.